sexta-feira, 7 de agosto de 2020

Cecília Meireles - Poema "Motivo" de "Viagem" (poesia poema verso literatura)

Um minuto de serenidade para você, trazido pelas asas do poema "Motivo" de Cecília Meireles. Muita saúde e um ótimo dia. 🌺🌸🙏🌞


Acesse e se inscreva gratuitamente
no Canal de Poesia no Youtube: LINK AQUI

Neste video eu trago o primeiro episódio da poeta Cecília Meireles. Aqui o seu famoso poema "Motivo" publicado no livro "Viagem" de 1939. Outros poetas nesta Série sobre a Poesia: Manuel Bandeira, João Cabral de Melo Neto, Alberto da Cunha Melo, Bruno Tolentino, Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, Ariano Suassuna, Murilo Mendes entre outros.

quarta-feira, 5 de agosto de 2020

Bruno Tolentino - Soneto III.165 de A imitação do amanhecer (poesia poema verso literatura)

Saudações com Poesia! Envio aqui uma mensagem profunda que nos foi deixada pelo poeta Bruno Tolentino. Um soneto elevado que nos conduz à contemplação do Belo. Muita saúde e ótimo dia. 


Acesse e se inscreva gratuitamente
no Canal de Poesia no Youtube: LINK AQUI

Outros poetas nesta Série sobre a Poesia: Manuel Bandeira, João Cabral de Melo Neto, Alberto da Cunha Melo, Bruno Tolentino, Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, Ariano Suassuna, Murilo Mendes entre outros.

domingo, 2 de agosto de 2020

Poemas Cordéis Repentes Textos Literatura



Acesse e se inscreva gratuitamente
no Canal de Poesia no Youtube: LINK AQUI

Zé Viola - Episódio 01 (Grandes Mestres da Cantoria de Repente) poesia cordel versos violeiro

Prezados amigos, boa tarde, bom dia e boa noite com bastante Poesia. 😎🌷🌸🌞 O poeta Zé Viola certa vez impressionou com uma estrofe, onde todas as palavras dos versos iniciavam com a letra "P". Fazer isso numa cantoria de repente exige um raciocínio muito rápido. Confira neste Episódio. Ajude a divulgar essa modalidade da Poesia popular brasileira: curtam, compartilhem nas suas mídias sociais (Zap, Facebook, Instagram...) e se inscrevam no Canal. Muita saúde a todos, forte abraço e até a próxima declamação. 🙏🌸🌻

Acesse e se inscreva gratuitamente
no Canal de Poesia no Youtube: LINK AQUI

No que diz respeito aos grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas podemos citar: Louro do Pajeú, Pinto do Monteiro, João Paraibano, Cego Aderaldo, Otacílio Batista, Antônio Marinho, Edmilson Ferreira, Rogério Menezes, Antonio Lisboa, Ivanildo Vila Nova, Jó Patriota, Geraldo Amâncio, Valdir Teles, Rogaciano Leite, Edmilson Ferreira, Antônio Lisboa, Patativa do Assaré, entre outros.

domingo, 26 de julho de 2020

João Paraibano - Episódio 02 (Grandes Mestres da Cantoria de Repente) poesia cordel versos violeiro

Meus caros amigos, boa noite, boa tarde e bom dia com muita Poesia. Aqui mostro um pouco da produção de um dos repentistas mais líricos que a Cantoria de Repente já criou: o poeta João Paraibano. Vamos espalhar mais poesia pela Rede: vem desfrutar um pouco de Arte, dá uma curtida aí no video e compartilha nas tuas midias sociais (Zap, Facebook, Instagram...). Desejo muita saúde a todos, forte abraço e até a próxima declamação.

Acesse e se inscreva gratuitamente
no Canal de Poesia no Youtube: LINK AQUI

No que diz respeito aos grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas podemos citar: Louro do Pajeú, Pinto do Monteiro, João Paraibano, Cego Aderaldo, Otacílio Batista, Antônio Marinho, Edmilson Ferreira, Rogério Menezes, Antonio Lisboa, Ivanildo Vila Nova, Jó Patriota, Geraldo Amâncio, Valdir Teles, Rogaciano Leite, Edmilson Ferreira, Antônio Lisboa, Patativa do Assaré, entre outros. 

sexta-feira, 24 de julho de 2020

Asa Branca do Ceará - Episódio 01 (Mestres da Cantoria de Repente) poesia cordel versos violeiro

Neste video eu trago o primeiro episódio sobre Asa Branca do Ceará. O video faz parte da série "Mestres da Poesia" (ou Grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas) trazendo poemas, textos, poesias, versos, sextilhas, décimas, galopes, martelos, redondilhas maiores, gemedeiras enfim, um pouco da rica produção desses guerreiros (violeiros repentistas) da arte da poesia. 

Acesse e se inscreva gratuitamente
no Canal de Poesia no Youtube: LINK AQUI

No que diz respeito aos grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas podemos citar: Louro do Pajeú, Pinto do Monteiro, João Paraibano, Cego Aderaldo, Otacílio Batista, Antônio Marinho, Edmilson Ferreira, Rogério Menezes, Antonio Lisboa, Ivanildo Vila Nova, Jó Patriota, Geraldo Amâncio, Valdir Teles, Rogaciano Leite, Edmilson Ferreira, Antônio Lisboa, Patativa do Assaré, entre outros.

domingo, 19 de julho de 2020

Zeto do Pajeú - Episódio 01 (Grandes Mestres da Poesia) cordel versos violeiro cantoria de repente

Bom dia, boa tarde e boa noite com Poesia 🌹🙏🍀 O poeta costura versos em linha reta ou em curvas... e às vezes tem a capacidade de assumir várias facetas, como um camaleão. Esse foi o caso de Zeto do Pajeú que foi poeta, compositor, violonista, repentista entre outras coisas. Confira a sua trajetória neste Episódio-1. Muita saúde a todos, forte abraço e até a próxima declamação. 😊🌞🌺

Acesse e se inscreva gratuitamente
no Canal de Poesia no Youtube: LINK AQUI

No que diz respeito aos grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas podemos citar: Louro do Pajeú, Pinto do Monteiro, João Paraibano, Cego Aderaldo, Otacílio Batista, Antônio Marinho, Edmilson Ferreira, Rogério Menezes, Antonio Lisboa, Ivanildo Vila Nova, Jó Patriota, Geraldo Amâncio, Valdir Teles, Rogaciano Leite, Edmilson Ferreira, Antônio Lisboa, Patativa do Assaré, entre outros.

domingo, 12 de julho de 2020

Um Cachorro vestido de Brasil - cantoria de repente poesia cordel versos violeiro nordeste sertão

Bom dia, boa tarde, boa noite com muita Poesia. Hoje eu trago para vocês um “cordel virtual” entitulado “Um Cachorro vestido de Brasil”. Esse cordel traz reflexões poéticas tragicômicas impressionantes! Será mesmo que isso pode acontecer? Vale à pena conferir. Eu desejo a todos muita saúde, forte abraço e até a próxima declamação.

Acesse e se inscreva gratuitamente
no Canal de Poesia no Youtube: LINK AQUI

No que diz respeito aos grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas podemos citar: Louro do Pajeú, Pinto do Monteiro, João Paraibano, Cego Aderaldo, Otacílio Batista, Antônio Marinho, Edmilson Ferreira, Rogério Menezes, Antonio Lisboa, Ivanildo Vila Nova, Jó Patriota, Geraldo Amâncio, Valdir Teles, Rogaciano Leite, Edmilson Ferreira, Antônio Lisboa, Patativa do Assaré, entre outros.

domingo, 5 de julho de 2020

Mocinha de Passira - Episódio 01 (Mestres da Cantoria de Repente) poesia cordel versos violeiro

Neste video eu trago o primeiro episódio sobre Mocinha de Passira, brilhante repentista violeira nascida em Pernambuco. O video faz parte da série "Mestres da Poesia" (ou Grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas) trazendo poemas, textos, poesias, versos, sextilhas, décimas, galopes, martelos, redondilhas maiores, gemedeiras enfim, um pouco da rica produção desses guerreiros (violeiros repentistas) da arte da poesia. 

Acesse e se inscreva gratuitamente
no Canal de Poesia no Youtube: LINK AQUI

No que diz respeito aos grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas podemos citar: Louro do Pajeú, Pinto do Monteiro, João Paraibano, Cego Aderaldo, Otacílio Batista, Antônio Marinho, Edmilson Ferreira, Rogério Menezes, Antonio Lisboa, Ivanildo Vila Nova, Jó Patriota, Geraldo Amâncio, Valdir Teles, Rogaciano Leite, Edmilson Ferreira, Antônio Lisboa, Patativa do Assaré, entre outros.

domingo, 28 de junho de 2020

Rogaciano Leite - Episódio 01 (Grandes Mestres da Poesia) cordel versos violeiro cantoria de repente

Neste video eu trago o primeiro episódio sobre o poeta Rogaciano Leite. O video faz parte da série "Mestres da Poesia" (ou Grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas) trazendo poemas, textos, poesias, versos, sextilhas, décimas, galopes, martelos, redondilhas maiores, gemedeiras enfim, um pouco da rica produção desses guerreiros (violeiros repentistas) da arte da poesia. 

Acesse e se inscreva gratuitamente
no Canal de Poesia no Youtube: LINK AQUI

No que diz respeito aos grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas podemos citar: Louro do Pajeú, Pinto do Monteiro, João Paraibano, Cego Aderaldo, Otacílio Batista, Antônio Marinho, Edmilson Ferreira, Rogério Menezes, Antonio Lisboa, Ivanildo Vila Nova, Jó Patriota, Geraldo Amâncio, Valdir Teles, Rogaciano Leite, Edmilson Ferreira, Antônio Lisboa, Patativa do Assaré, entre outros.

domingo, 21 de junho de 2020

Dedé Monteiro - Episódio 01 (Mestres da Poesia) poesia cordel versos violeiro cantoria repente

Neste video eu trago o primeiro episódio sobre o poeta Dedé Monteiro que em muitas das suas produções poéticas homenageou a arte nordestina, os mestres da Poesia Popular, Repentistas, Violeiros e Cordelistas. O video faz parte da série "Mestres da Poesia" (ou Grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas) trazendo poemas, textos, poesias, versos, sextilhas, décimas, galopes, martelos, redondilhas maiores, gemedeiras enfim, um pouco da rica produção desses guerreiros (violeiros repentistas) da arte da poesia. 

Acesse e se inscreva gratuitamente
no Canal de Poesia no Youtube: LINK AQUI

No que diz respeito aos grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas podemos citar: Louro do Pajeú, Pinto do Monteiro, João Paraibano, Cego Aderaldo, Otacílio Batista, Antônio Marinho, Edmilson Ferreira, Rogério Menezes, Antonio Lisboa, Ivanildo Vila Nova, Jó Patriota, Geraldo Amâncio, Valdir Teles, Rogaciano Leite, Edmilson Ferreira, Antônio Lisboa, Patativa do Assaré, Dedé Monteiro entre outros.

domingo, 14 de junho de 2020

Louro Branco - Episódio 01 (Grandes Mestres da Cantoria de Repente) poesia cordel versos violeiro

Bom dia com Poesia 🌹🙏🍀 É a hora do poeta Louro Branco relatar seus feitos hiperbólicos enfrentando Lampião, desarmando mais de trinta capangas, encontrando com Menelau e o Minotauro, fazendo uma viagem intergaláctica por Centauro... Pense num poeta quente, cabra da peste! Vale à pena conferir. Muita saúde a todos, forte abraço e até a próxima declamação. 😊🌞🌺

Acesse e se inscreva gratuitamente
no Canal de Poesia no Youtube: LINK AQUI

O video faz parte da série "Mestres da Poesia" (ou Grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas) trazendo poemas, textos, poesias, versos, sextilhas, décimas, galopes, martelos, redondilhas maiores, gemedeiras enfim, um pouco da rica produção desses guerreiros (violeiros repentistas) da arte da poesia.

No que diz respeito aos grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas podemos citar: Louro do Pajeú, Pinto do Monteiro, João Paraibano, Cego Aderaldo, Otacílio Batista, Antônio Marinho, Edmilson Ferreira, Rogério Menezes, Antonio Lisboa, Ivanildo Vila Nova, Jó Patriota, Geraldo Amâncio, Valdir Teles, Rogaciano Leite, Edmilson Ferreira, Antônio Lisboa, Patativa do Assaré, entre outros.

quinta-feira, 11 de junho de 2020

Antônio Lisboa - Episódio 01 (Grandes Mestres da Cantoria de Repente) poesia cordel versos violeiro

Bom dia com Poesia 🌹🙏🍀 Dessa vez, o poeta Antônio Lisboa nos traz uma ótima reflexão sobre a "qualidade suspeita" do nosso principal meio de comunicação: a Televisão. Bastante atual! Vale à pena conferir. Muita saúde a todos, forte abraço e até a próxima declamação. 😊🌞🌺



O video faz parte da série "Mestres da Poesia" (ou Grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas) trazendo poemas, textos, poesias, versos, sextilhas, décimas, galopes, martelos, redondilhas maiores, gemedeiras enfim, um pouco da rica produção desses guerreiros (violeiros repentistas) da arte da poesia.


Acesse e se inscreva gratuitamente
no Canal de Poesia no Youtube: LINK AQUI

No que diz respeito aos grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas podemos citar: Louro do Pajeú, Pinto do Monteiro, João Paraibano, Cego Aderaldo, Otacílio Batista, Antônio Marinho, Edmilson Ferreira, Rogério Menezes, Antonio Lisboa, Ivanildo Vila Nova, Jó Patriota, Geraldo Amâncio, Valdir Teles, Rogaciano Leite, Edmilson Ferreira, Antônio Lisboa, Patativa do Assaré, entre outros.

segunda-feira, 8 de junho de 2020

Homenagem ao Poeta Pinto do Monteiro - por João Araújo

Bom dia com Poesia. Uma singela homenagem ao poeta Pinto do Monteiro. 


Para assistir uma coletânea especial de alguns versos de Pinto do Monteiro, acesse e se inscreva gratuitamente no Link:


Acesse e se inscreva gratuitamente
no Canal de Poesia no Youtube: LINK AQUI

Nesse Canal você também encontra a série "Mestres da Poesia" (ou Grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas) trazendo poemas, textos, poesias, versos, sextilhas, décimas, galopes, martelos, redondilhas maiores, gemedeiras enfim, um pouco da rica produção desses guerreiros (violeiros repentistas) da arte da poesia.

domingo, 7 de junho de 2020

CORDEL sobre o FORRÓ (João Araújo) poesia cordel versos repente violeiro

Bom dia com poesia. Segue uma estrofezinha falando do Forró. O cordel completo e "desenhado" está no Link AQUI



Acesse e se inscreva gratuitamente
no Canal de Poesia no Youtube: LINK AQUI

Nesse Canal você também encontra a série "Mestres da Poesia" (ou Grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas) trazendo poemas, textos, poesias, versos, sextilhas, décimas, galopes, martelos, redondilhas maiores, gemedeiras enfim, um pouco da rica produção desses guerreiros (violeiros repentistas) da arte da poesia.

Pinto do Monteiro - Episódio 03 (Mestres da Cantoria de Repente) poesia cordel versos violeiro

Bom dia com Poesia 🌹🙏🍀 A "Cascavel do Repente" está de volta, dando os seus botes certeiros nesse Terceiro Episódio sobre a Arte da Cantoria de Pinto do Monteiro. Vamos compartilhar e espalhar mais Poesia pelo mundo real e digital. Muita saúde a todos, forte abraço e até a próxima declamação. 😊🌞🌺

O video faz parte da série "Mestres da Poesia" (ou Grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas) trazendo poemas, textos, poesias, versos, sextilhas, décimas, galopes, martelos, redondilhas maiores, gemedeiras enfim, um pouco da rica produção desses guerreiros (violeiros repentistas) da arte da poesia.


Acesse e se inscreva gratuitamente
no Canal de Poesia no Youtube: LINK AQUI


No que diz respeito aos grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas podemos citar: Louro do Pajeú, Pinto do Monteiro, João Paraibano, Cego Aderaldo, Otacílio Batista, Antônio Marinho, Edmilson Ferreira, Rogério Menezes, Antonio Lisboa, Ivanildo Vila Nova, Jó Patriota, Geraldo Amâncio, Valdir Teles, Rogaciano Leite, Edmilson Ferreira, Antônio Lisboa, Patativa do Assaré, entre outros.

sábado, 6 de junho de 2020

Homenagem a Zá Limeira - O Poeta do Absurdo (por João Araújo)


Para assistir o episódio completo 
sobre as peripécias de Zé Limeira 
acesse o Link 👉 EPISÓDIO ZÉ LIMEIRA


No que diz respeito aos grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas podemos citar: Louro do Pajeú, Pinto do Monteiro, João Paraibano, Cego Aderaldo, Otacílio Batista, Antônio Marinho, Edmilson Ferreira, Rogério Menezes, Antonio Lisboa, Ivanildo Vila Nova, Jó Patriota, Geraldo Amâncio, Valdir Teles, Rogaciano Leite, Edmilson Ferreira, Antônio Lisboa, Patativa do Assaré, entre outros.

INSCRIÇÃO GRATUITA NO CANAL DE POESIA: CLIQUE AQUI

quinta-feira, 4 de junho de 2020

Zé Limeira - Episódio 01 (Grandes Mestres da Cantoria de Repente) poesia cordel versos violeiro

Neste video eu trago o primeiro episódio sobre Zé Limeira (o Poeta do Absurdo). Zé Limeira ganhou muita popularidade depois da publicação do livro "Zé Limeira - Poeta do Absurdo" de autoria de Orlando Tejo. O video faz parte da série "Mestres da Poesia" (ou Grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas) trazendo poemas, textos, poesias, versos, sextilhas, décimas, galopes, martelos, redondilhas maiores, gemedeiras enfim, um pouco da rica produção desses guerreiros (violeiros repentistas) da arte da poesia.



Acesse e se inscreva gratuitamente
no Canal de Poesia no Youtube: LINK AQUI


No que diz respeito aos grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas podemos citar: Louro do Pajeú, Pinto do Monteiro, João Paraibano, Cego Aderaldo, Otacílio Batista, Antônio Marinho, Edmilson Ferreira, Rogério Menezes, Antonio Lisboa, Ivanildo Vila Nova, Jó Patriota, Geraldo Amâncio, Valdir Teles, Rogaciano Leite, Edmilson Ferreira, Antônio Lisboa, Patativa do Assaré, entre outros.

segunda-feira, 1 de junho de 2020

CORDEL sobre o FORRÓ (João Araújo) poesia cordel versos repente violeiro

É Tão Bom o meu Forró

Este video traz um cordel sobre o Forró para celebrar uma das maiores festas da cultura popular do planeta. No cordel, a gente pode passear pelos ritmos do forró (baião, xote, rastapé, entre outros) e até pela origem da própria palavra “Forró”.


Acesse e se inscreva gratuitamente
no Canal de Poesia no Youtube: LINK AQUI

Nesse Canal você também encontra a série "Mestres da Poesia" (ou Grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas) trazendo poemas, textos, poesias, versos, sextilhas, décimas, galopes, martelos, redondilhas maiores, gemedeiras enfim, um pouco da rica produção desses guerreiros (violeiros repentistas) da arte da poesia.

quinta-feira, 28 de maio de 2020

Edmilson Ferreira - Episódio 01 (Grandes Mestres da Cantoria de Repente) poesia versos violeiro

Neste video eu trago o primeiro episódio sobre o poeta Edmilson Ferreira. Brilhante repentista violeiro, Edmilson Ferreira também é um estudioso sobre o assunto tendo pesquisado e publicado sobre a Cantoria de Repente. O video faz parte da série "Mestres da Poesia" (ou Grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas) trazendo poemas, textos, poesias, versos, sextilhas, décimas, galopes, martelos, redondilhas maiores, gemedeiras enfim, um pouco da rica produção desses guerreiros (violeiros repentistas) da arte da poesia. 

Acesse e se inscreva gratuitamente 
no Canal de Poesia no Youtube: LINK AQUI

No que diz respeito aos grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas podemos citar: Louro do Pajeú, Pinto do Monteiro, João Paraibano, Cego Aderaldo, Otacílio Batista, Antônio Marinho, Edmilson Ferreira, Rogério Menezes, Antonio Lisboa, Ivanildo Vila Nova, Jó Patriota, Geraldo Amâncio, Valdir Teles, Rogaciano Leite, Edmilson Ferreira, Antônio Lisboa, Patativa do Assaré, entre outros.

terça-feira, 26 de maio de 2020

Décima Esdrúxula - Estrofe 3/10 - João Araújo

Décima Esdrúxula - Estrofe 3/10 - João Araújo

Bom dia com Poesia!🙏🌹Para aqueles "administradores públicos" que se valem do cargo para superfaturar preços de equipamentos médicos, embolsar dinheiro de merenda de crianças carentes e tantas outras "Ações Pestíferas" eu dedico a Estrofe-3 da "Décima Esdrúxula". Muita saúde a todos e um ótimo dia🙏🙏☀️


Acesse e se inscreva gratuitamente no Canal de Poesia no Youtube: LINK AQUI

segunda-feira, 25 de maio de 2020

Valdir Teles - Episódio 02 (Grandes Mestres da Cantoria de Repente) poesia cordel versos violeiro

Neste video eu trago o “segundo” episódio sobre o poeta Valdir Teles, talentoso repentista violeiro nascido na Paraíba (Livramento). Não perca a oportunidade de assistir também o “primeiro” episódio sobre o repentista Valdir Teles. O video faz parte da série "Mestres da Poesia" (ou Grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas) trazendo poemas, textos, poesias, versos, sextilhas, décimas, galopes, martelos, redondilhas maiores, gemedeiras enfim, um pouco da rica produção desses guerreiros (violeiros repentistas) da arte da poesia. 


INSCRIÇÃO GRATUITA NO CANAL DE POESIA: CLIQUE AQUI


No que diz respeito aos grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas podemos citar: Louro do Pajeú, Pinto do Monteiro, João Paraibano, Cego Aderaldo, Otacílio Batista, Antônio Marinho, Edmilson Ferreira, Rogério Menezes, Antonio Lisboa, Ivanildo Vila Nova, Jó Patriota, Geraldo Amâncio, Valdir Teles, Rogaciano Leite, Edmilson Ferreira, Antônio Lisboa, Patativa do Assaré, entre outros.

quinta-feira, 21 de maio de 2020

Cego Aderaldo - Episódio 01 (Grandes Mestres do Repente Cantoria) poesia cordel versos violeiro

Neste video eu trago o primeiro episódio sobre Aderaldo Ferreira de Araújo que ficou conhecido no reino da cantoria de repente como o Cego Aderaldo. Aderaldo faz parte da geração dos primeiros cantadores a ganhar notoriedade no meio da Poesia Popular do Nordeste. 


INSCRIÇÃO GRATUITA NO CANAL DE POESIA: CLIQUE AQUI

O video faz parte da série "Mestres da Poesia" (ou Grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas) trazendo poemas, textos, poesias, versos, sextilhas, décimas, galopes, martelos, redondilhas maiores, gemedeiras enfim, um pouco da rica produção desses guerreiros (violeiros repentistas) da arte da poesia. 

No que diz respeito aos grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas podemos citar: Louro do Pajeú, Pinto do Monteiro, João Paraibano, Cego Aderaldo, Otacílio Batista, Antônio Marinho, Edmilson Ferreira, Rogério Menezes, Antonio Lisboa, Ivanildo Vila Nova, Jó Patriota, Geraldo Amâncio, Valdir Teles, Rogaciano Leite, Edmilson Ferreira, Antônio Lisboa, Patativa do Assaré, entre outros.

segunda-feira, 18 de maio de 2020

Geraldo Amâncio - Episódio 02 (Grandes Mestres do Repente Cantoria) poesia cordel versos violeiro


Neste video eu trago o "segundo" episódio sobre o poeta Geraldo Amâncio que, além de repentista violeiro é cordelista e estudioso da arte da Cantoria de Repente e da Cultura Popular. O video faz parte da série "Mestres da Poesia" (ou Grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas) trazendo poemas, textos, poesias, versos, sextilhas, décimas, galopes, martelos, redondilhas maiores, gemedeiras enfim, um pouco da rica produção desses guerreiros (violeiros repentistas) da arte da poesia.


INSCRIÇÃO GRATUITA NO CANAL DE POESIA: CLIQUE AQUI

No que diz respeito aos grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas podemos citar: Louro do Pajeú, Pinto do Monteiro, João Paraibano, Cego Aderaldo, Otacílio Batista, Antônio Marinho, Edmilson Ferreira, Rogério Menezes, Antonio Lisboa, Ivanildo Vila Nova, Geraldo Amâncio, Valdir Teles, Rogaciano Leite, Patativa do Assaré, entre outros.

sexta-feira, 15 de maio de 2020

O Canto das Três Raças: prolongamentos agremiativos em Pernambuco por João Araújo

O Canto das Três Raças:
prolongamentos agremiativos em Pernambuco
por João Araújo
(artigo publicado originalmente no Site BRmaisAQUI)


A convergência da diversidade étnica na formação cultural de uma nação é um presente concedido pelo passar do tempo. Se afirmo hoje que uma sociedade possui o privilégio por ter sido formada pela mistura diversificada de vários povos, não posso esquecer que tal processo certamente foi doloroso num tempo quando práticas como a escravidão, por exemplo, participavam da rotina dos cidadãos. Esse fato tenebroso da nossa história é inegável e deixou sequelas profundas. Quero focar, entretanto, as atenções no lado positivo, isto é, nas heranças culturais que tais etnias deixaram para as gerações futuras. 

Cuidar bem das boas memórias e sementes culturais, semeá-las com carinho e fazê-las brotar os bons frutos que cada raça transportou no corpo e na alma durante os séculos é atuar na rica fertilização da sociedade; é uma missão de amor. No caso do Brasil, assim espero que sempre o seja. Nosso país deve se orgulhar da beleza e confluência das suas ricas origens. Em muitas regiões, mantém-se continuamente o germinar e o brotar dos traços culturais ancestrais. Das figuras do indígena, do africano e do europeu saltaram e saltam particularidades diversas que habitam os nossos dias, muitas vezes e infelizmente, sem a atenção merecida. Irei lançar essa reflexão sobre o nordeste brasileiro.

Considero especialmente o estado que já foi um dia conhecido como o Leão do Norte. Lá em Pernambuco, as três raças também encontraram prolongamentos peculiares na coletividade de diversos grêmios carnavalescos como forma de expressão cultural. Hoje, porém, apesar de um tipo de agremiação fazer referência cultural a uma determinada linhagem, as suas alas são compostas por “desfilantes” de múltiplas origens étnicas, dando, assim, o colorido humano característico do carnaval, como sempre deve ser. Apesar de o catálogo de agremiações carnavalescas ser muito mais vasto, limitar-me-ei aqui a destacar apenas três exemplos delas, fazendo, assim, uma ligação com cada um dos grupos étnicos acima citados.

O Indígena

O meu ponto de partida é, portanto, o caso da cultura indígena. Esta ganhou um prolongamento coletivo no Folclore pernambucano através de agremiações chamadas Caboclinhos ou Cabocolinhos. Aí, homens e mulheres trajam fantasias compostas por saias, cocares, tornozeleiras, colares, pulseiras, braceletes e cintos com chocalhos presos, todos manufaturados com ricas e coloridas penas. O repertório que se toca em tais grupos se inspira em sonoridades florestais primitivas. A base rítmica utilizada é composta por toques percussivos de tambores e preacas, estes últimos sendo instrumentos de percussão em forma de arco e flecha que emitem estalos secos de madeira. Também se utilizam flautins de taquara, costurando melodias agudas e alegres em cadências distintas, das quais se destacam o canto guerreiro e o perré. 

No carnaval, muitos desses grupos desfilam pelas ruas do Recife presenteando os olhares atentos da multidão com um espetáculo de exuberância e lépida alegria. Assim, a cultura indígena encontrou uma forma alternativa e diferente de se estender e de expressar os seus costumes, crenças e lendas, que, aliás, não são poucas. Entre os vários mitos, destacam-se a lenda do Boto cor-de-rosa (o galanteador), do Curupira e da Caipora (dois dos guardiões das florestas), do Boitatá (a serpente de fogo), a lenda da Mandioca e a lenda da Iara (a mãe d'água). 

Em geral, uma mitologia vai sendo passada de boca em boca através das gerações, como uma espécie de bastão da tradição, e, nesta corrida de transmissão oral, as histórias vão sofrendo alterações e variações ao longo dos anos. No caso da lenda da Iara (formada pela composição das palavras y, água, e ara, senhora), por exemplo, diz-se que, numa de suas primeiras versões, referia-se a um homem-peixe que atacava pescadores e os levava para o fundo dos rios. Só a partir do século XVIII, uma versão feminina da mulher encantada e sedutora passou a vigorar no imaginário popular, que, por sua vez, também já encontra influências trazidas do universo mitológico das sereias. 

Controvérsias à parte, o que quero destacar aqui é a manifestação agremiativa e o estilo musical de base indígena, os Caboclinhos, que se fizeram impor no ambiente carnavalesco e carregam em si a expressão maior da cultura desta etnia em seus desfiles pelas ruas da cidade.

Carijós, Canindés, Taperaguases,
Caboclo Tupy, Tapirapés,
Caboclinhos Tabajaras,
É ela a mulher, Senhora das Águas,
É ela a mulher, Ôô ô Iara...

Vem lá do Norte
O negro dos olhos
Cabelos e lábios de mulher
Deusa tão forte
Nas águas escuras
Caboclo se entrega aos seus pés

É guardiã
Dos rios, da mata,
Se enfeita com a flor do mururé
Ela é irmã
Do fogo que arde
No sangue da presa que lhe quer

Sirena chamou
Marujo sumiu
Sereia cantou
Iara levou
O tapuio pro rio

O canto que essa mulher detém
Toda floresta não será capaz
De suportar, de tanta magia,
Aracuã vadia, já não canta mais

Quando ela sai, leva mil reféns
No igarapé, sobressalta a paz,
Céu escurece e o vento esfria
Jassanã se avia, capiuara atrás

Iara é lenda que do povo vem
Mora na fé de todo rapaz
De se perder nessa febre estranha
Da pele castanha que a morena traz

Letra do Caboclinho “Senhora das Águas”

O Africano

Agora, considero o segundo caso a que me proponho neste artigo. Em Pernambuco, no que diz respeito aos prolongamentos carnavalescos do africano, há um gênero agremiativo, entre outros, que traduz essa cultura através do poder estrondoso e arrepiante dos tambores: o Maracatu Nação, também conhecido como Maracatu de Baque Virado. Cultura secular, em seus cortejos pelas ruas, o Maracatu representa o universo da nobreza africana de tempos remotos, como os reinados do Congo. O grupo é diferenciado em alas que refletem as cortes imperiais da África do passado. Exemplos desses integrantes legítimos são o rei, a rainha, os ministros e embaixadores, as damas da corte e o porta-estandarte. Há também as damas do paço, que carregam nos braços e exibem ao público as calungas, bonecas negras enfeitadas, simbolizando os orixás, tais como Xangô ou Oxum. Em Pernambuco, há muitos Maracatus em atividade, a citar alguns deles: Nação Leão Coroado, Nação Porto Rico, Nação Estrela Brilhante de Igarassú, Nação Estrela Brilhante de Recife e Nação de Maracatu Cambinda Estrela. Um dos mais antigos foi o Maracatu Elefante, fundado em 1800, e que teve a famosa Dona Santa como sua rainha.

Os Maracatus são um espetáculo rico e instigante, muito disso se devendo à força rítmica e imponente da ala dos batuqueiros. Suas viradas e levadas são proporcionadas principalmente pelas alfaias, grandes tambores adornados e coloridos confeccionados artesanalmente. Às alfaias, juntam-se, ainda, outros instrumentos percussivos, como os xequerês, os gonguês, as maracás e as caixas. A polirritmia se inicia, muitas vezes, após o Mestre puxar uma loa, que é a parte de um verso musical cantado sem acompanhamento instrumental.

Por volta de 1960, em Recife, houve um movimento para dar mais espaço à expressão africana e se criou a chamada Noite dos Tambores Silenciosos, que, desde então, decorre durante a segunda-feira de carnaval no Pátio do Terço, no Bairro de São José. Nesta cerimônia de sincretismo religioso, os Maracatus se reúnem e realizam apresentações coletivas até que, em determinado momento, os tambores silenciam, as luzes do pátio são apagadas e todos juntos realizam uma oração em iorubá.

Segunda-feira vai arder lá no Pátio do Terço
Oração de tambor
Segunda-feira vai surgir do metal no gonguê
Som estalado de amor
Segunda-feira vai tremer na virada da caixa
A loa que o Mestre puxou
Segunda-feira vai bulir cabaceiro amargoso
Na mão que Calunga jogou

Calunga, saculeja esse xequerê
Que a pele da morena, assim, suará
Não esqueça: Calunga bom tem que remexer
Sem perder a toada que libertará

Letra do Maracatu “Xequerê de Calunga”

O Europeu

Para finalizar esse breve passeio pelos prolongamentos étnico-culturais no carnaval pernambucano, retornemos ao fim do século XIX e consideremos predominantemente os desdobramentos da influência europeia lusófona no nordeste brasileiro. Naquela época, nos bairros do Recife, havia diversos grupos de músicos seresteiros que se reuniam constantemente para realizar os seus saraus, serenatas e recitais em família. Por outro lado, da tradição religiosa portuguesa, a sociedade já estava acostumada às práticas das procissões e do pastoril, um folguedo europeu relacionado ao Presépio e que se compõe por meio de danças e músicas, sejam elas religiosas ou profanas. Da confluência desses movimentos, por volta de 1920, nasceram os Blocos Carnavalescos. Mas, atenção! Entenda-se aqui que tais agremiações não têm nada de parecido com os blocos ou, muito menos, com os trio-elétricos como os entendemos hoje. A música dessas agremiações era proporcionada por uma orquestra de pau-e-corda formada por violões, bandolins, violinos, flautas, clarinetes de ébano, surdos e pandeiros, entre outros instrumentos. Além disso, um coral feminino ficava responsável por propagar os textos dos frevos-de-bloco, embebidos de muito lirismo romântico e saudosista.

Os Blocos Carnavalescos também viriam trazer um marco social significativo para a comunidade, pois permitiram a inclusão feminina e sua presença mais segura na participação do carnaval de rua. Naquela época, o carnaval fora dos clubes carregava muitos traços de violência devido ao desconfortável jogo hostil dos mela-melas, das contendas constantes e das desavenças, heranças essas ainda do truculento entrudo português. As ruas não eram nada convidativas para as esposas, irmãs, primas e filhas dos seresteiros. Sendo assim, a solução da vez trazida pelos Blocos Carnavalescos foi o uso do famoso cordão protetor, que era carregado pelos homens, salvaguardando as suas queridas companheiras da agressividade exterior.

O movimento dos Blocos Carnavalescos Líricos, como são denominados hoje, teve muitos altos e baixos ao longo dos anos. Entretanto, o estado atual, após a virada do milênio, é de grande esplendor. Hoje, há mais de cinquenta agremiações desse tipo fundadas em diversos bairros da capital pernambucana e cidades adjacentes. Cada qual é formada por uma quantidade média de setenta ou oitenta componentes. Desfilam pelas ruas do Recife, promovendo um espetáculo visual e sonoro de lirismo sem igual. A grande apoteose é um evento chamado de Encontro dos Blocos Líricos e ocorre no Marco Zero do Recife, na segunda-feira de carnaval. Vale aqui citar os nomes de algumas dessas agremiações: Um Bloco em Poesia, Eu Quero Mais, Flor Camará, Amantes das Flores de Camaragibe, Flor do Eucalipto de Moreno, Cordas e Retalhos, O Bonde, Artesãos de Pernambuco, Flor da Lira de Olinda, Banhistas do Pina e Bloco das Ilusões, entre tantos outros.

Neons, banhando o espelho desse rio marrom
De saia longa em vibrações crepom
Trocai a vossa fria luz neon
Pelo calor dos nossos corações

Soltai a branca voz das procissões
Tocai a rubra corda dos violões
Vesti a manta azul das tradições
E a verde-glória luz da multidão
A gloriosa luz da multidão
A gloriosa luz da multidão
A gloriosa luz da multidão

Letra do Frevo-de-Bloco “A Luz dos Blocos”

A Mistura

Essa é uma pequena parcela das nuances do carnaval de Pernambuco. Nesse estado, muito do carnaval é feito pela sua própria gente, um povo lutador de singular irreverência, criatividade ímpar e humor aguçado, que muitas vezes trabalha o ano inteiro para poder colocar a sua agremiação nas ruas. Os milhares de turistas espectadores que lá vão têm, portanto, a possibilidade de assistir a uma autêntica expressão popular, uma espécie de teatro ao ar livre, onde a sua gente faz das ruas e avenidas o seu palco para encenar e expressar a riqueza das suas heranças étnico-culturais. 

Em cada um dos movimentos populares pernambucanos aqui citados, isto é, o Caboclinho, o Maracatu e o Bloco Carnavalesco Lírico, a mistura prevaleceu. Com esta breve exposição, não pretendi dar o monopólio ou o domínio do indígena, do africano ou do europeu sobre cada um dos seus respectivos movimentos agremiativos, muito menos desconsiderar o influxo de uma cultura sobre a outra. Pretendi, entretanto, destacar que em cada uma dessas manifestações coletivas carnavalescas houve, em sua origem, uma predominância e influência étnica clara que vive a brilhar hoje durante, por exemplo, os festejos de Momo. As agremiações são, assim, expressões legítimas e prolongamentos culturais dos seus indivíduos, que se realimentam dinamicamente com o passar do tempo e pulsam o colorido múltiplo do imenso mosaico social. Tudo isso vai sendo transmitido de geração para geração. Trata-se de uma gostosa e divertida lição de história e de amor pelas raízes da nossa gente.

Artigo publicado originalmente no Site BRmais: AQUI

INSCRIÇÃO GRATUITA NO CANAL DE POESIA: CLIQUE AQUI

No Palácio do Galo da Madrugada - João Araújo

#TBT: Recordo aqui um trecho da minha declamação na sede do Palácio do Galo da Madrugada 😀Lá, no palco, numa Quinta-feira, dediquei um Cordel (Poema) de minha autoria a este monumento da Cultura Brasileira 😍🙏🍀

LINK para a declamação AO VIVO:  AQUI



INSCRIÇÃO GRATUITA NO CANAL DE POESIA: CLIQUE AQUI

quinta-feira, 14 de maio de 2020

Jó Patriota - Episódio 01 (Grandes Mestres do Repente Cantoria) poesia cordel versos violeiro

Neste video eu trago o primeiro episódio sobre Jó Patriota. Inspirado poeta repentista violeiro, Jó Patriota contribuiu para o meio da Poesia Popular com muito talento poético, ficando conhecido como "O Último dos Líricos". O video faz parte da série "Mestres da Poesia" (ou Grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas) trazendo poemas, textos, poesias, versos, sextilhas, décimas, galopes, martelos, redondilhas maiores, gemedeiras enfim, um pouco da rica produção desses guerreiros (violeiros repentistas) da arte da poesia. 


INSCRIÇÃO GRATUITA: CLIQUE AQUI

No que diz respeito aos grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas podemos citar: Louro do Pajeú, Pinto do Monteiro, João Paraibano, Cego Aderaldo, Otacílio Batista, Antônio Marinho, Edmilson Ferreira, Rogério Menezes, Antonio Lisboa, Ivanildo Vila Nova, Geraldo Amâncio, Valdir Teles, Rogaciano Leite, Patativa do Assaré, entre outros.

quarta-feira, 13 de maio de 2020

Poema sobre a Pandemia - João Araújo

Poema sobre a Pandemia
(Poema sobre o Corona / Covid19)
(Cordel sobre a Pandemia)






ASISTA A DECLAMAÇÃO AQUI


INSCRIÇÃO GRATUITA NO CANAL DE POESIA: CLIQUE AQUI

Neste vídeo eu trago uma breve reflexão em versos (através da arte da poesia) sobre talvez o momento mais delicado que a humanidade esteja enfrentando depois da Segunda Guerra Mundial: de um lado o enfrentamento do Corona Vírus (Covid-19) e do outro uma crise Econômica de dimensões assustadoras. O poema foi composto nos moldes da família da poesia popular. Como artista, compositor e poeta eu não poderia me furtar a refletir sobre essa temática tão sensível para todos nós.

segunda-feira, 11 de maio de 2020

Louro do Pajeú - Episódio 03 (Grandes Mestres do Repente Cantoria) poesia cordel versos violeiro

Neste video eu trago o "terceiro" Episódio sobre Lourival Batista (o Louro do Pajeú). Louro é reconhecido como um dos maiores nomes do Repente, arte da Poesia Popular, também comumente referida como cantoria de viola, que explora o improviso e os desafios entre os violeiros. O video faz parte da série "Mestres da Poesia" (ou Grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas) trazendo poemas, textos, poesias, versos, sextilhas, décimas, galopes, martelos, redondilhas maiores, gemedeiras enfim, um pouco da rica produção desses guerreiros (violeiros repentistas) da arte da poesia.


INSCRIÇÃO GRATUITA: CLIQUE AQUI
  • Louro do Pajeú Episódio-1: AQUI  
  • Louro do Pajeú Episódio-2: AQUI 
No que diz respeito aos grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas podemos citar: Louro do Pajeú, Pinto do Monteiro, João Paraibano, Cego Aderaldo, Otacílio Batista, Antônio Marinho, Edmilson Ferreira, Rogério Menezes, Antonio Lisboa, Ivanildo Vila Nova, Geraldo Amâncio, Valdir Teles, Rogaciano Leite, Patativa do Assaré, entre outros. 

sábado, 9 de maio de 2020

Rogério Menezes - Episódio 01 (Grandes Mestres do Repente Cantoria) poesia cordel versos violeiro

Neste video eu trago o primeiro episódio sobre o poeta repentista Rogério Menezes. Rogério Menezes é natural da Paraíba e promove vários Festivais de Violeiros pelo país, tendo também divulgado a arte dos violeiros nordestinos na Rádio e Televisão. O video faz parte da série "Mestres da Poesia" (ou Grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas) trazendo poemas, textos, poesias, versos, sextilhas, décimas, galopes, martelos, redondilhas maiores, gemedeiras enfim, um pouco da rica produção desses guerreiros (violeiros repentistas) da arte da poesia. 


INSCRIÇÃO GRATUITA: CLIQUE AQUI

No que diz respeito aos grandes mestres do repente, maiores cantadores do Brasil e poetas podemos citar: Louro do Pajeú, Pinto do Monteiro, João Paraibano, Cego Aderaldo, Otacílio Batista, Antônio Marinho, Edmilson Ferreira, Rogério Menezes, Antonio Lisboa, Ivanildo Vila Nova, Geraldo Amâncio, Valdir Teles, Rogaciano Leite, Patativa do Assaré, entre outros. 

quinta-feira, 7 de maio de 2020

POEMA sobre a VIDA É UM MILAGRE (João Araújo) - poesia cordel versos

Um poema que faz uma reflexão sobre o Tempo, o Destino, o milagre que é viver e sobre o quão pouco nós, mergulhados em nosso cotidiano e na correria da vida, pensamos a respeito disso tudo. Aqui a arte da poesia é explorada num poema escrito em versos livres. O video faz parte da série "Minuto da Poesia" que contempla vários formatos de poemas, textos, poesias, versos, sextilhas, décimas, galopes, martelos, redondilhas maiores, gemedeiras enfim, um pouco do rico fazer poético.


INSCRIÇÃO GRATUITA: CLIQUE AQUI

No meu Canal, você também pode encontrar a série "Mestres da Poesia" que mostra um pouco da poesia universal e popular do Nordeste. Entre os nomes que marcaram o cenário poético, podemos citar Carlos Drumond de Andrade, Cecília Meireles, Manuel Bandeira, João Cabral de Melo Neto, Augusto dos Anjos, Paulo Leminski e tantos outros. No que diz respeito aos grandes mestres do repente, maiores cantadores e poetas do Brasil podemos citar: Louro do Pajeú, Pinto do Monteiro, João Paraibano, Cego Aderaldo, Otacílio Batista, Antônio Marinho, Edmilson Ferreira, Rogério Menezes, Antonio Lisboa, Ivanildo Vila Nova, Geraldo Amâncio, Valdir Teles, Rogaciano Leite, Patativa do Assaré, entre outros.

Outros Contatos

Veja Links para matérias de João Araújo:

- Um itinerário crítico para o imaginário de Mafalda Veiga:
Decomposição de um cancioneiro através da imaginação da matéria
in Germina - Revista de Literatura e Arte. (link para o artigo)